quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Eu iria, mas dessa vez eu realmente fui.

Crônicas de uma adolescente vazia

  Acordei novamente numa manhã de férias sem saber o que fazer. Minha mãe já gritava, já jogava as coisas dentro do meu quarto, eu não queria saber o motivo daquele estresse. Eu não queria entender o que se passava com a minha família. Outra ligação perdida do meu pai. Não quis atender, fingi não ver.  Eu não queria estar ali de novo. Sai sem rumo na rua, para respirar. Mas ver os enfeites de natal me entristeceu ainda mais.
  Eu acordei vazia nessa manhã, não queria sentir, não queria pensar, não queria. Ver que ninguém entendia como eu me sentia, me fez chorar nessa manhã. Eu pularia de um penhasco, eu mergulharia num rio, eu estava vazia. Arrancaram tudo que valia, eu estava vazia. Eu não queria explicar, eu não queria demonstrar, eu não queria.

Não sei

Chorar quando se está triste
Gritar quando se está irritada
Respirar quando se está estressada
Levantar quando se está no chão

Sou um vulcão de sentimentos
Sentimentos repreendidos
Guardados à sete chaves

Não sei me expressar
Não sei demosntrar
Não sei



"Do que adianta viver se não houver futebol e carnaval?"

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

  Comecei minha carreira muito jovem, com 10 anos já tinha que ajudar com a renda lá de casa com o pouco que ganhava numa indústria. Cresci, me formei e logo consegui um cargo mais importante na empresa. Nunca parei de trabalhar, de estudar. A sociedade impôs, e logo depois me casei e tive 3 belas filhas. Sempre fui um homem muito racional. Mas uma coisa eu não abria mão, nem mesmo com muita reflexão: meu futebol e o baile de carnaval. Quando adolescente, achava que era bobagem, que eu deveria apenas focar no trabalho, esquecendo essas besteiras que te tiram da realidade, que são apenas uma forma de "pão e circo".
  Um homem muito sábio uma vez me disse: "Do que adianta viver se não houver futebol e carnaval? Somos movidos pelo desejo, o prazer é fundamental.".  



terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Não grita comigo
Não me chama de frígida
Olha nos meus olhos e diz
Que não gostaria de me ter aí

O que passou, passou
O que importa é o que virá

Segunda de manhã.

sábado, 7 de dezembro de 2013

Estava pensando em você pra variar e notei que eu nunca te disse como eu amo o jeito que você me olha. 
Nunca te disse o quanto seu sorriso me faz bem, nem como eu amo o jeito que você arruma o cabelo. 
Percebi que eu nunca te falei que você é o único motivo pra que eu levante da cama numa segunda de manhã.

Desculpa

Desculpa pelo egoísmo
Desculpa pela infantilidade
Desculpa pelo medo
Desculpa pela frieza
Desculpa pela ignorância
Desculpa pela falta de carinho
Desculpa pela ingratidão
Desculpa pelo estresse
Desculpa pelo meu modo
Desculpa por te fazer sofrer





Te amo. 

Por favor

Queria que você pudesse olhar no fundo dos meus olhos vermelhos agora
Que gritam desesperadamente que fique
Que imploram que você não vá

Sentimentos
Depressão
Meio-termo

Queria que você me visse agora
Que me abraçasse e visse que eu preciso de você
Que eu não sei viver sem você

Por favor, não vai
Por favor, fica
Por favor, eu te amo
Por favor